Baú da Arquibancada – Galo e Corinthians na final (Imagens da arquibancada) 2º jogo

Durante semanas ficamos em dúvida se postaríamos alguns vídeos, já que o Galo não havia vencido as partidas e, nesse caso, perdido um campeonato. Mas como o Baú da Arquibancada procura levar ao torcedor arquivos raros e muitas vezes inédito, publicamos mais vídeos que contam histórias marcadas para sempre na nossa história.

O jogo é Galo e Corinthians, em 1999, em São Paulo, após a vitória atleticana no Mineirão. As imagens mostram torcedores confiantes em um título, transpirando ansiedade e nervosismo a cada lance.

A taça não veio, mas ficaram as cenas que o tempo não conseguiu apagar.

Fael Lima e Lucas Cardoso

ABRAÇO NAÇÃO!

Twitter | Facebook | Orkut

Youtube 1 | Youtube 2

Leia Mais

Evolução que incomoda

Repórter, apresentador, diretor, vereador, deputado, juiz, entre outros, impressiona a quantidade de profissionais que, no caso Independência, esqueceram a velha hipocrisia de que não defendem nenhum time. Uns querem 15 minutos de fama, outros tentam angariar alguns votos, ganhar tapinhas nas costas de conselheiro dos clubes rivais, mas alguns fazem pelo simples prazer da desordem.

Americanos e cruzeirenses não estão insatisfeitos pelo fato de não administrarem parte do estádio, o que eles não aguentam é a ideia de que isso será feito por atleticanos. Todos sabiam que 90% pertenciam à BWA e em momento algum questionaram, mas bastou chegar a notícia que o Galo não é mais um time inerte, parado no tempo, para adversários e seus representantes tremerem.

A imprensa não é neutra, espero que todos aqueles que tinham alguma dúvida sobre isso, que tenha caído por terra com os comentários publicados essa semana sobre o contrato do estádio. Responsáveis por páginas de esportes que não se dedicavam tanto, passaram madrugadas lendo e relendo o caso para encontrar algo que pudesse pressionar a opinião popular contra o negócio da década. Repórteres que mal conseguem falar sobre o futebol, aquilo que garante o pão de cada dia, arriscaram interpretar leis e cláusulas, proporcionando um circo de horrores. Se a intenção é candidatar-se, talvez estejam no caminho certo, pois alguns já eleitos também tentaram atrair microfones com suas versões sobre o caso.

Um apresentador desses programas sensacionalistas dizia que qualquer “adevogado” de porta de cadeia derrubaria esse acordo. Uma opinião tão falsa quanto seu sotaque populês, vindo de um homem que deve empatar o número de vezes que foi a um estádio e quantas vezes fora sincero. Esse é o exemplo de quem não é candidato, não quer fama, mas faz pelo prazer da desordem.

E se deixarmos de lado a imprensa, que depende de patrocinadores e de exclusivas do time que mal consegue pagar os salários, encontramos torcedores também nos homens da lei. Nesse caso deixam de lado a lentidão que lhes é peculiar, atropelam decisões, compram brigas gigantes, ações que não veríamos se não estivesse em jogo a incompetência do time que move seu coração.

Por que não se moveram tanto para pesquisar se outro clube estava pagando taxas simples ao governo, como a de segurança, nos jogos que era mandante? Ninguém pressionou o governo ou Ministério Público quando denúncias sérias pipocavam diariamente contra o ex-presidente azul.

O atleticano deve absorver e questionar-se sobre cada notícia e atitude que lhe é repassada. Não garanta a audiência de quem joga contra nossa bandeira, não eleja quem trabalha como torcedor, diga não àqueles que não suportam nosso crescimento. E prepare-se, pois virão outros momentos como esse nos novos dias de Atlético.

Comemorar títulos será inevitável, e quando acontecer, todos poderão finalmente usar as cópias de contrato para enxugarem suas lágrimas. O Galo Forte e Vingador voltou!

Foto (Kalil): Bruno Cantini
Imagem: Internet

Fael Lima

ABRAÇO NAÇÃO!

Twitter | Facebook | Orkut

Youtube 1 | Youtube 2

Leia Mais

Cam1sa D3las – Letícia Abreu

 Cam1sa D3las no Orkut

Cam1sa D3las no Facebook

Twitter da Letícia

Envie sua foto para [email protected]

Nome, apelido e idade.

Letícia Abreu, Lê, 16 anos.

Onde nasceu e onde vive?

Letícia: Nasci em Santo Antônio do Amparo e continuo na mesma cidade.

E o coração, como está?

Letícia: Viúva hehe; estou solteira.

O que têm achado da atuação do time nesse começo de campeonato?

Letícia: Atuação mediana.

Descreva em poucas palavras o que significa ser ATLETICANA.

Letícia: Ser atleticana é perder o sono esperando o jogo do Atlético no dia seguinte, é chorar na derrota e vibrar de alegria nas conquistas, não tem explicação, é ser fiel ao time e não abandonar, é pertencer a uma nação.

Pra você, quem deveria ser titular na lateral direita, Marcos Rocha ou Carlos César?

Letícia: Marcos Rocha, pois vem jogando bem e mostrando seu potencial, mas não tiro os méritos de Carlos César que é um bom jogador.

Que jogador será o destaque da equipe em 2012?

Letícia: Bernard.

Se pudesse trazer algum reforço, quem você contrataria e por quê?

Letícia: Cristiano Ronaldo, porque é lindo. Ok, vou voltar a falar sério hehe, Diego Tardelli porque é um artilheiro nato.

Nesse começo de campeonato, o comportamento da torcida está sendo diferente, mais cobranças etc. Você acha que a atitude está correta ou que o apoio deve continuar INCONDICIONAL?

Letícia: A atitude esta correta, nós torcedores do Atlético somos eufóricos, mas faz tempo que não conquistamos um título de ‘verdade’. Tem que haver cobranças, mas depende de quais, jogar bem e honrar o time é uma delas.

Fael Lima

ABRAÇO NAÇÃO!

Twitter | Facebook | Orkut

Youtube 1 | Youtube 2

Leia Mais

Sócio-torcedor tin tin por tin tin

Quando o Internacional começou seu programa de sócio-torcedores, ele pesquisou como o Galo havia feito um pequeno projeto anteriormente. Ele pegou, moldou, cresceu, adaptou aos tempos atuais e agora nos devolve para que nós façamos nossos testes. O que diremos aqui são dicas, pensamentos, não quer dizer que as ideias estarão no sócio-torcedor oficial do Clube.

O programa de sócio-torcedor do Atlético começa em 2012, mas quando for lançado, deve ter estrutura para, no mínimo, três anos. O associado deve ter preferência para renovação sem pegar filas novamente, e todos os valores do próximo ano devem estar estipulados com antecedência, para que ninguém seja surpreendido.

Outra surpresa que deve ser evitada é na fila de ingressos. Se o sócio terá desconto na compra do ingresso, que ele tenha preferência com a bilheteria abrindo com um dia de antecedência exclusivamente para associados. Não adianta somente ter o desconto, se ainda existirão cambistas.

Além de haver o tradicional sócio que é premiado na compra do ingresso, o Clube deve dar a opção do associado que só quer contribuir com o Galo. Muitas donas de casa, idosos, atleticanos do interior ou de outros países que talvez queiram receber uma revista um produto licenciado, além da tradicional camisa no fim do ano. Aquele que esteve com as mensalidades em dia, levaria ainda um brinde do Atlético.

Também seria interessante um grupo representante dos associados, com direito a participação na reunião do Conselho e quem sabe uma mudança no estatuto, onde a associação teria o peso a de 1 voto nas eleições do Clube, ou quem sabe a oportunidade de se candidatarem a conselheiros sem estarem ligados aos clubes sociais.

O BMG poderia engordar a conta do Galo na história e ser responsável pelo cadastro dos atleticanos, com a possibilidade de criarem um cartão de crédito personalizado que daria desconto em uma rede de empresas pela cidade. O Atleticano sabe qual empresa está ao lado do seu clube e será mais um cliente fiel. Esse é um planejamento que vai cuidar do nascimento do atleticano até sua morte, por isso é importante cada detalhe, como a morte, onde optaríamos pelos descontos da Pax de Minas, empresa de um atleticano roxo, que seria bem-vinda nessa ramificação.

Tudo isso com uma pesquisa freqüente de opinião do torcedor. Qual seria o canal? A internet, essa que nos envolve mais que a televisão nos dias atuais. Um site com login e senha, onde o assinante poderia dar dicas e carimbar o que está dando certo no sócio-torcedor.

E no mais, me aguardem na fila com meus parentes. Como são vários, esperamos encontrar um plano familiar para não deixar ninguém de fora.

Chegou a hora do Galo reencontrar e falar a mesma língua da Massa.

Texto enviado por Jones Guerra.

Imagem: Internet

Leia Mais