Análise do jogo: Galo 1 x 2 Caldense – Campeonato Mineiro 2017

Por:
09/04/2017 - 19:39

Pela última rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro, disputada na tarde de domingo (9), o Galo foi derrotado por 2 a 1 pela Caldense. A partida foi disputada no Ronaldão, em Poços de Caldas.

Time reserva fica devendo coletivamente

Quando o treinador escala uma equipe reserva e as coisas não dão certo dentro de campo, muitas pessoas, sejam elas membros de imprensa, torcida ou comissão técnica, apontam a falta de entrosamento como a principal razão do fracasso. Não se trata de caça às bruxas, nem de supervalorizar uma derrota que não altera em nada a vida do Atlético, mas é possível refutar essa visão de que uma equipe reserva não pode ser cobrada pelo desempenho.

A metodologia utilizada no Atlético e na maioria dos clubes do futebol moderno se baseia muito no conceito de treinar como se joga. Ou seja, os treinamentos são planejados para que os jogadores reproduzam ações que serão vividas dentro de um jogo, a partir de conceitos definidos pelo treinador. O objetivo dessa metodologia é criar um modelo de jogo para o clube, que seja entendido e reproduzido por todo o elenco.

Foto: Bruno Cantini / Atlético

O time que enfrentou a Caldense nunca havia jogado junto, mas treina durante a semana e tem, ou deveria ter, os aspectos coletivos do time bem assimilados para reproduzi-los bem. É claro que existe um déficit técnico em relação aos jogadores da equipe titular, mas o time deveria ter se apresentado muito melhor em Poços de Caldas.

No primeiro tempo o Galo ao menos não sofreu defensivamente, mas também teve muitas dificuldades para criar. O time teve mais posse de bola, mas não controlou o jogo a ponto de deixar a Caldense desconfortável. A equipe atleticana finalizou apenas duas vezes com perigo. Primeiro, Flávio cabeceou e exigiu grande defesa do goleiro da Caldense após cruzamento de Leonan. Depois, Marlone cobrou falta de longe e marcou um belo gol, abrindo o placar para o Galo.

Autor do gol, Marlone se movimentou bastante no primeiro tempo e ajudou a melhorar o baixo volume de jogo ofensivo do Atlético. O estreante Flávio fez uma partida bastante competitiva, mas também não foi capaz de dar vida ao time atleticano. Pela direita, o volante Yago não se sentiu confortável ao atuar praticamente como um ponta, e pouco produziu.

Na segunda etapa, o Atlético perdeu o controle da posse de bola e passou a dar muito espaço para a Veterana, que teve 6 finalizações, contra 4 do Galo no segundo tempo.

Felipe Santana e Carlos César erram posicionamento no gol da Caldense / Foto: Reprodução - PFC

Aos 6 minutos, a Caldense empatou ao aproveitar falha de posicionamento da defesa atleticana. O cruzamento da direita foi em direção a Luiz Eduardo, jogador mais alto da Caldense na área. Logo, o centro-avante deveria ser marcado por Felipe Santana, que no início da jogada demorou a colar no adversário. Carlos César fez a leitura errada da jogada e impediu que Felipe Santana se aproximasse de Luiz Eduardo para disputar a bola pelo alto. E o camisa 92 da Veterana não desviasse, a bola ainda poderia sobrar para Zambi, que estava livre e deveria estar sendo marcado pelo lateral-direito do Galo.

Após sofrer o empate, o Galo tentou se recuperar no jogo e buscar o ataque, mas levava perigo apenas em jogadas de bola parada. Aos 32 minutos, a Caldense encaixou o contra-ataque; Cristiano teve tempo para conduzir a bola e acertar um belo chute de fora da área, surpreendendo Uilson e desempatando o jogo.

Foto: Bruno Cantini / Atlético

A derrota dos reservas evidenciou problemas enfrentados pela equipe titular. O padrão de jogo anteriormente citado ainda não está totalmente assimilado pelo grupo. A equipe ainda rende menos do que poderia, oscila muito dentro das partidas. Na quinta-feira (13) tem duelo contra o Sport Boys pela Libertadores e a expectativa é que a equipe, além de vencer, apresente um futebol de melhor nível.

Pontuações individuais: Carlos Eduardo e Danilo vão mal e Adilson se salva

Adilson fez sua estreia como titular na derrota diante da Caldense. Apesar de ainda demonstrar alguma falta de ritmo de jogo, o volante teve atuação segura na frente da defesa e impediu que o Atlético sofresse mais na retaguarda. Ganhando divididas sem falta, fazendo boas intercepções e saindo jogando com segurança, Adilson mostrou que pode se tornar uma boa opção para Roger na equipe titular.

Foto: Bruno Cantini / Atlético

Por outro lado, o Galo teve novamente um Danilo improdutivo. Apesar dos gols marcados no início do ano, o camisa 14 mostra-se um jogador previsível e pouco criativo no ataque. Seu bom porte físico e estilo de jogo competitivo podem indicar que sua posição de origem, a lateral esquerda, possa ser realmente seu melhor lugar na equipe.

Carlos Eduardo, novamente, foi um jogador totalmente inofensivo. Errando passes bobos e perdendo a bola constantemente no meio de campo, foi substituído aos 17 minutos da segunda etapa, mas antes disso, não produziu absolutamente nada. Desde que chegou ao Galo, nunca justificou as chances que recebe.

Melhores momentos

Ficha técnica

CALDENSE 2 X 1 ATLÉTICO

Motivo: 11ª rodada da fase de classificação do Campeonato Mineiro
Estádio: Ronaldão, em Poços de Caldas
Data: 9 de abril de 2017
Arbitragem: Renato Cardoso da Conceição (árbitro); Marconi Helbert Vieira e Magno Arantes Lira (assistentes)
Caldense: Neguete; Jéfferson Feijão (Diego Clementino), Marcelinho, Thiago Carpini e Rafael Estevam; Mineiro (César), Hygor e Leandro Oliveira (Cristiano) e Zambi; Luiz Eduardo e Wellington Rato. Técnico: Thiago Oliveira
Atlético: Uilson; Carlos César, Jesiel (Nathan), Felipe Santana e Leonan (Daniel); Adilson, Carlos Eduardo (Marco Túlio) e Danilo; Yago, Marlone e Flávio. Técnico: Roger Machado.
Cartão amarelo: Carlos César, Danilo, Marco Túlio, Yago (ATL); Rafael Estevam, Zambi (CAL)