NÃO IMPORTA A IDADE, NÃO CAIA NO HORTO

Por:
27/08/2014 - 02:44

Foto: Bruno Cantini

Foto: Bruno Cantini

Foi a segunda tamancada no Inter durante a semana. A vitória na Taça BH foi tão sofrida quanto a do Brasileiro. Assim como a equipe de Levir Culpi, o grupo de Micale apresentou dificuldade em finalizar contra o gol adversário.

É a terceira partida seguida que a equipe de juniores finaliza pouco, mas aproveita as chances que tem. O Inter possui uma equipe forte, que deu trabalho para a defesa Atleticana com grandes talentos individuais. O goleiro Uilson jogou como zagueiro mais uma vez e assustou a torcida nas bolas em que dividiu fora da área. Micale insiste no esquema arriscado e conta com a sorte por diversas vezes durante a partida.

Por não saber o nome de todos os jogadores, a torcida apoiava ou cobrava de acordo com o número da camisa, como João Victor, que vestiu a 18, errou muito e chegou a ser vaiado quando saiu. Porém, foi o camisa 7 do Inter foi quem roubou a cena no Independência. Ao marcar o gol dos gaúchos, Alisson foi até a arquibancada, fez sinal de silêncio, virou de costas para mostrar a camisa e colocou a mão no ouvido. Não se viu a mesma empolgação após a virada Alvinegra, quando o atleta deixou o campo cabisbaixo e ouvindo músicas dedicadas a ele.

Danielzinho entrou no intervalo e deu mais velocidade ao ataque, pois Nolasco e Dodô tinham dificuldade em fazer a bola chegar até Carlos. O atacante passou a buscar a bola fora da área e em uma linda jogada pela ponta esquerda colocou o lateral Igor Fiuza na cara do gol para selar a classificação.

O Galo agora encara o Figueirense, na quinta-feira (28), às 15h, no Independência. Como o portão 3 estava lotado na vitória contra o Inter, o ideal é que o Atlético abra também o setor Galo na Veia.

Parabéns ao grupo e à torcida que apoiou e fez barulho na Taça BH. Fica a pergunta: Pur que que tem que ser tão sufridu assim até na base?

Fael Lima

ABRAÇO, MASSA!

Twitter | Facebook

Youtube 1 | Google +