Botafogo 1 x 1 Atlético: empate com gosto (muito) amargo

Por:
09/07/2017 - 23:16

O futebol é a síntese da vida. Nem sempre as coisas saem como o desejado. Neste domingo, o atleticano foi do céu ao inferno em exatos 42 segundos. Vencendo o Botafogo por 1-0 no Nilton Santos, Robinho, cara a cara com Jefferson, errou a última das incontáveis chances desperdiçadas pelo Galo no segundo tempo do confronto. Na sequência, pênalti para o Botafogo que o centroavante Roger conferiu no rebote, empatando o jogo para os donos da casa. Àquela altura, o relógio já marcava os 48 minutos da etapa final e não havia tempo para mais nada.

Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo

O jogo

Em mais uma boa atuação fora de casa, o Atlético começou em cima do Botafogo. Aos 22’, Marlone arriscou de fora e contou com o desvio do zagueiro Emerson Silva para abrir o placar. Baseado em toques curtos e associações pelos lados, o jogo atleticano fluía com relativa tranquilidade.

Cazares toma decisão errada e perde chance clara de gol / Foto: Reprodução

Pelos lados, Yago e Marlone conseguiam boas combinações com Marcos Rocha e Fábio Santos, respectivamente. Rocha, aliás, voltou a jogar após mais de um mês no departamento médico. Mais atrás, Elias e Carioca ditavam o ritmo do time e não cediam espaços ao rápido time do Botafogo. Jogando por dentro, Robinho esteve livre de obrigações defensivas e teve atuação regular.

O apagado Rafael Moura, por sua vez, perdeu um pênalti no começo do segundo tempo. Apesar dos méritos de Jefferson, que fez excelente defesa, o erro acabou custando caro. A partir daquele momento, o Atlético empilhou gols perdidos: Yago, Cazares e Robinho jogaram fora várias chances para dilatar o placar. Além do equatoriano, Fred e Adílson entraram na partida.

Estatísticas do duelo (Botafogo na esquerda e Atlético na direita) / Fonte: footstats

No fim das contas, mesmo com claras dificuldades na proposição de jogo, o Botafogo acabou premiado com um pênalti no atacante Marcos Vinícius. Victor até defendeu na primeira, mas não conseguiu evitar o gol marcado por Roger no rebote. Agora, o Atlético ocupa a oitava colocação do Campeonato Brasileiro, tendo somado 17 pontos em 12 rodadas.

Surpresas no momento defensivo

Quando Roger Machado divulgou o seu onze inicial para a partida deste domingo, a lógica dizia que Rafael Carioca e Yago seriam os volantes, com Elias ocupando o lado direito. O técnico do Galo, no entanto, optou por uma inversão, posicionando Yago como extremo, colocando o camisa 8 ao lado de Rafael Carioca.

Atuando aberto, Yago tinha a missão de neutralizar o lado esquerdo botafoguense. A estratégia deu certo, e a maior parte das associações entre Victor Luis e Rodrigo Pimpão foi barrada. Com Elias por dentro, o Atlético conseguiu ter amplo domínio do meio-campo.

Lá atrás, os zagueiros Bremer e Matheus Mancini foram bem. Seguros e firmes, os jovens defensores atuaram com bastante personalidade. Não fosse o pênalti já nos acréscimos, a dupla atingiria a marca de 180 minutos sem levar gols.

-

Fotos: Vítor Silva/SSPress/Botafogo

Por: @ghpeixoto