Botafogo 3 x 0 Atlético: com requintes de crueldade, eliminação é a síntese do Galo atual

Por:
27/07/2017 - 00:53

O Atlético foi eliminado da Copa do Brasil de forma inapelável. Jogando no Estádio Nilton Santos, o Galo levou 3-0 do Botafogo nesta quarta-feira, em partida válida pelas quartas de final da competição. Voluntarioso e bem armado taticamente, o time de Jair Ventura impôs uma dura derrota aos comandados de Rogério Micale, estreante da noite.

Precisando reverter o 1-0 do confronto de ida, o Botafogo começou em cima do Galo. Logo aos cinco minutos, o zagueiro Joel Carli aproveitou uma confusão após cobrança de escanteio para abrir o placar. O gol acordou o Atlético, que começou a tentar algumas investidas, sobretudo pelo lado direito, que tinha Marcos Rocha e Luan. A melhor chance atleticana foi justamente com o lateral, que fez Jefferson sujar o uniforme em chute cruzado.

Apostando em uma equipe mais leve, Micale tinha Robinho, Cazares, Luan e Elias se movimentando no campo de ataque. Mais ofensivo que o time de Roger, o Galo do campeão olímpico dava muitos espaços na recomposição, que não tinha as coberturas definidas. Com bastante campo para contragolpear, o Botafogo se aproveitou e chegou ao segundo gol nos instantes finais do primeiro tempo. O 2-0 saiu após cruzamento certeiro de Victor Luis, que encontrou a cabeça do centroavante Roger.

Na volta do intervalo, Rafael Carioca e Rafael Moura entraram nos lugares de Yago e Robinho, que muito apagado, fez mais uma partida abaixo da crítica. A presença de Carioca no meio-campo atleticano qualificou a saída de bola, mas não foi suficiente para furar o forte sistema defensivo botafoguense. Com mais posse de bola, o Galo esbarrou em um velho problema: a proposição de jogo. Apostando nas bolas altas para Rafael Moura, o Atlético teve em Cazares seu jogador mais lúcido. Partindo da esquerda para o centro, o equatoriano tentou incontáveis jogadas, mas também não conseguiu criar chances efetivas. A melhor oportunidade veio em cruzamento de Fábio Santos, mas Rafael Moura se antecipou e tirou a bola de Luan, que tinha muitas chances de marcar.

No fim, Otero substituiu o exausto Luan, renovando o fôlego pelo lado direito. Apesar de ganhar na corrida de Victor Luis em algumas oportunidades, o venezuelano não mudou o panorama do jogo. O terceiro gol do Botafogo veio com Gilson, já nos acréscimos, após escanteio batido pelo Galo.

Justa e simbólica, a eliminação do Atlético escancara os erros no planejamento traçado pela diretoria do clube. Ainda estamos em julho, mas o Galo vê a sua temporada bastante comprometida. Na Libertadores, é difícil crer em grandes voos. No Brasileiro, o time irá precisar de uma campanha de recuperação para poder chegar ao G-6. O Botafogo, por sua vez, colhe os frutos de um trabalho a longo prazo, apoiado e respaldado pela direção. Sem atletas de renome, Jair Ventura prova que a coletividade se sobrepõe a uma mera soma de individualidades.

-

Por: @ghpeixoto

Fotos: Bruno Cantini