De olho no adversário: Botafogo

Por:
29/06/2017 - 00:17

Treinado pelo promissor Jair Ventura, o Botafogo é uma das grandes sensações do futebol brasileiro em 2017. O clube carioca enfrenta o Atlético nesta quinta, 29, no Independência, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

O momento

Após disputar a Série B em 2015, o Botafogo voltou à elite do futebol nacional sob o comando de Ricardo Gomes. Entretanto, no meio da temporada passada, Gomes deixou o alvinegro carioca rumo ao São Paulo. A partir daquele momento, o então auxiliar Jair Ventura ganhou a chance de dirigir o time principal do Botafogo.

O bom segundo semestre da equipe de Jair levou o Botafogo à Libertadores. Para 2017, a base do time e o modelo de jogo foram mantidos.  Em que pese algumas saídas, reforços como Roger, Gatito Fernández e Montillo, que deixou o clube nesta semana, chegaram para encorpar o elenco botafoguense.

Na Libertadores, o Botafogo passou pelas duas fases preliminares e teve de enfrentar um difícil grupo, com Atletico Nacional, Barcelona de Guayaquil e Estudiantes. Com três vitórias, um empate e duas derrotas, o time da “Estrela Solitária” fez 10 pontos e irá enfrentar o Nacional (URU) na próxima fase. No Campeonato Carioca, muitos testes e oscilações permitiram apenas uma participação nas semifinais.

Em paralelo aos torneios eliminatórios, o Botafogo faz campanha regular no Campeonato Brasileiro. Mesmo após a derrota para o Avaí por 2-0 na última segunda, o time continua bem posicionado na tabela: 10 jogos, 15 pontos e sétimo lugar.

Como joga?

Jair Ventura costuma armar o Botafogo em um 4-2-3-1 que varia bastante para o 4-4-2. No gol, Gatito tem substituído com competência o ídolo Jefferson, recém-saído do departamento médico. A lateral direita deve ser feita pelo zagueiro Emerson Santos, visto que Arnaldo, titular da posição, foi contratado após o fim do prazo de inscrições do torneio. No miolo de zaga, Carli e Igor Rabello mesclam experiência e juventude. Emprestado pelo Palmeiras, o veloz Victor Luis completa a linha de defesa. De presença constante no campo de ataque, o lateral esquerdo é uma das principais armas ofensivas botafoguenses.

Rodrigo Lindoso e João Paulo, por sua vez, compõem a dupla de volantes. Ambos não têm a marcação como característica principal, mas conseguem fechar bem os espaços. De boa técnica, a dupla é fundamental para a execução das rápidas transições entre defesa e ataque.

Nas pontas, Bruno Silva e Rodrigo Pimpão cumprem um importante papel na recomposição defensiva. Bruno Silva, aliás, tem sido o grande destaque do Botafogo neste ano. Rápido, o jogador contribui defensiva e ofensivamente com a mesma eficiência.

Mais solto, Camilo articula os ataques e é responsável por levar, com rapidez a bola até Roger, centroavante da equipe. Contrariando todos os prognósticos, ele vem sendo importante para o esquema do Botafogo. Bastante voluntarioso, Roger pressiona a saída de bola adversária e, de quebra, marca gols importantes.

Velocidade que vem do banco

Para mudar o rumo das partidas, o técnico Jair Ventura costuma acionar o atacante Guilherme. Cedido pelo Grêmio, o ágil jogador imprime bastante rapidez aos jogos. Mesmo saindo do banco, Guilherme tem muito prestígio com a comissão técnica e muito provavelmente será utilizado no segundo tempo do confronto desta quinta.

Por: @ghpeixoto

-

Fotos: Satiro Sodré/SSPress/Botafogo