A lacuna da lateral direita

Por:
02/06/2017 - 15:25

Marcos Rocha é o dono da lateral direita do Atlético desde 2012. Nestes cinco anos, Rocha já teve inúmeros reservas: Carlos César, Michel Macedo, Alex Silva e Patric. Nenhum deles, porém, conseguiu ser unanimidade entre torcida e imprensa. As constantes ausências do camisa 2, sobretudo por lesões, tornam o lado direito da defesa atleticana menos poderoso.

O Galo começou a temporada 2017 tendo Patric e Carlos César como alternativas à Marcos Rocha. O primeiro, após passar o último ano atuando improvisado nas pontas e capitanear a equipe que disputou a Florida Cup, foi emprestado ao Vitória. Carlos César, por sua vez, vinha tendo atuações regulares quando solicitado, até se machucar na estreia do Campeonato Brasileiro, contra o Flamengo. Vale ressaltar também que Emanuel, cria da base do Palmeiras, e que integra o time júnior do Atlético, também foi relacionado em algumas oportunidades.

Marcos Rocha se lesionou e vai desfalcar o Galo / Foto: Bruno Cantini - CAM

Diante da ausência de laterais, o Galo agiu rápido e pediu o retorno de Alex Silva, que estava no América desde a pré-temporada. Alex fez parte do elenco alvinegro em 2014 e participou de 40 partidas, inclusive no duelo de volta com o Atlético Nacional, pelas oitavas de final da Libertadores daquele ano. Nos anos seguintes, lesões e empréstimos consecutivos atrapalharam a carreira de Alex. A última aparição do ala com a camisa preta e branca foi no empate contra o Santa Cruz, em novembro do ano passado. Agora, com a contusão sofrida por Marcos Rocha frente ao Paraná na última quarta, o jovem de 23 anos terá, talvez, sua última oportunidade para se firmar no Atlético.

Pelo Coelho, Alex Silva esteve em campo por 11 vezes, sendo sete desde o início e quatro como substituto, totalizando 642 minutos. Das oito oportunidades em que começou jogando, o lateral foi sacado em três. Nos primeiros compromissos do ano, Alex atuou como terceiro zagueiro pela direita, muito por conta de sua boa estatura. No entanto, Enderson Moreira, técnico do alviverde, logo abandonou o esquema e Alex passou a se revezar com Auro no time titular e fatalmente perderia espaço com as recentes contratações americanas.

Durante os cinco meses em que vestiu a camisa do América, Alex não marcou nenhum gol e não teve momentos de grande brilho. Caso Roger opte por escalá-lo no domingo, contra o Palmeiras no Allianz Parque, o lateral terá a sua prova de fogo. Se for bem, pode cavar sua vaga no elenco atleticano para o restante da temporada.

Outras opções

Se a diretoria do clube mantiver a decisão de não contratar nenhum outro lateral direito, Roger tem outras opções além de Alex Silva. O volante Yago e o zagueiro Gabriel já atuaram por ali. A lesão de Adílson, no entanto, pode dificultar o deslocamento de Yago. Contra o Paraná, ele fez a função de Rocha, com Danilo entrando como volante. Entretanto, o lateral esquerdo esteve muito mal como cabeça de área e não conseguiu ocupar espaços, tampouco marcar com tranquilidade.

Atuando improvisado, Yago surge como opção / Foto: Bruno Cantini - CAM

Gabriel, por sua vez, já atuou como lateral em algumas oportunidades, como na primeira rodada do Brasileirão de 2016, quando fez uma de suas melhores partidas com a camisa do Galo. Além de possibilitar maior equilíbrio defensivo, essa alternativa poderia explorar as qualidades do promissor beque com a bola nos pés.

Por: @ghpeixoto