Campanha do Agasalho – Galo x Tijuana

O Cam1sa Do2e divulgou a campanha das perucas do Luan, das máscaras do pânico e o movimento de construção do mosaico, agora a campanha é para algo muito maior. Antes do jogo de quinta-feira, os Embaixadores do Galo estarão ao lado do Chef Túlio, na Avenida Silviano Brandão, recolhendo agasalhos para doação.

A festa começa cedo, por isso não se atrase, deixe sua contribuição nas caixas que estarão próximas ao bar. Procure no guarda-roupa e nas gavetas da sua casa, peça aos vizinhos e amigos, ajude ao próximo. Caso você não vá ao jogo, confira na imagem abaixo os pontos de coleta durante a semana.

A rua de fogo empurra o time e aquece corações!

Veja também:

Mosaico especial para Atlético x Tijuana

Máscaras do pânico e perucas do Luan

Fael Lima

ABRAÇO NAÇÃO!

Twitter | Facebook

Youtube 1 | Youtube 2

234324

Mosaico especial para Atlético e Tijuana

Foto: Centim Vicentim

Foto: Centim Vicentim

O Independência é temido por todos os times do Brasil e da América, ninguém quer cair no Horto. O estádio não assusta os adversários somente pela qualidade do time, mas a força da torcida tem sido importante na invencibilidade que o Galo conquistou desde a Arena do Jacaré. Quinta-feira, quando os jogadores entrarem em campo, a Massa fará mais um espetáculo com um mosaico unindo todos os setores.

Panos de cores diferentes estarão distribuídos pelas cadeiras de vários setores do Independência e um bandeirão fará uma espécie de quebra-cabeças no mosaico. Para que o show fique completo, é preciso que todos colaborem levantando o pano que está em sua cadeira até o fim do foguetório. Não troque os panos de lugar e peça aos torcedores próximos a você para também levantarem os panos no momento certo. Evite ficar pelos corredores e escadas durante o mosaico para que não tenhamos cadeiras vazias. Faixas estarão à frente da torcida com instruções para que a mensagem apareça corretamente.

Não jogue os panos para o alto, não levante quando o Galo Doido entrar, não levante outras bandeiras ou cartazes durante o mosaico. Contribua com mais essa demonstração da torcida de apoio ao time.

Fael Lima

ABRAÇO NAÇÃO!

Twitter | Facebook

Youtube 1 | Youtube 2

Memórias do futuro

Foto: Reuters

Foto: Reuters

Quando sofremos o segundo gol, muita coisa passou pela minha cabeça. Não falo dos cálculos, de quantos gols seria necessário dentro de casa ou quanto tempo faltava. Revi Dida defendendo uma bola impossível na ponta dos dedos, a chuva começando a cair em São Caetano e até a mesma fase da Libertadores de 2000, quando Gilberto Silva errou e Ricardinho não perdoou.

Seria uma noite com a mesma sensação daqueles dias? Não! Os dias são outros. A mania do Atlético em acelerar nossos corações até o apito final ainda é a mesma, porém a tristeza deu lugar ao sorriso. Ainda é difícil dormir após os jogos, mas dessa vez as noites em claro servem para imaginarmos como serão os próximos dias, onde estaremos, quão linda será a festa no Horto.

Às vezes a vaia, a descrença, a postura cabisbaixa não é intencional, passa despercebida e vem como um piloto automático. O time atual tem a missão de fechar essas cicatrizes, espantar velhos fantasmas que ainda assombram aos torcedores e ao clube. Quando isso acontecer, e vai acontecer, haverá jogos que levaremos o segundo gol e lembraremos do dia em que Tardelli foi o sobrenome da esperança, daremos gargalhadas ao citar um maluquinho que trouxe o empate e iremos nos emocionar ao comentar que as lágrimas de Luan eram o sinal da vontade desse time em comprovar os novos tempos.

Então já não existirão fantasmas, as memórias serão da genialidade de Ronaldinho, da vontade de Pierre e da loucura de Luan. A chuva de São Caetano dará lugar à lua do Horto que estará perto da taça, quando essa for erguida no Independência.

Fael Lima

ABRAÇO NAÇÃO!

Twitter | Facebook

Youtube 1 | Youtube 2

Vídeos da Massa – Tijuana 2×2 Atlético (parte 2)

Comemoração no Bar da Tia Morena

Festa após o jogo

E no Horto…

Vídeos da Massa – Tijuana 2×2 Atlético (parte 1)

Explosão com o gol de Luan

Show antes do jogo

O time da virada

Números na Mira – 2012 x 2013

Foto: Bruno Cantini

Foto: Bruno Cantini

Em 2012, o artilheiro do time foi Bernard, com 15 gols.

Em 2013, Jô saiu na frente e está com 12 gols marcados em 5 meses.

Em 2012, Ronaldinho deu 14 assistências em 32 jogos.

Em 2013, são 8 assistências de Ronaldo em 14 jogos.

Em 2012, André, Danilinho, Mancini, Leonardo, Escudero e Soutto marcaram gols, mas se despediram do clube.

Em 2013, Araújo chegou a comemorar um gol, mas também arrumou as malas.

Em 2012, André foi o artilheiro Atleticano no Mineiro, com 10 gols em 14 jogos.

Em 2013, Jô é o Atleticano que mais comemorou gols no estadual, foram 6 em 13 jogos.

Em 2013 são 12 jogos e 12 vitórias como mandante. 41 gols marcados e 11 gols sofridos.

Em 2013, o Atlético marcou 24 gols no primeiro tempo e sofreu 11 na etapa inicial.

Em 2013, o Galo foi pra cima no segundo tempo. São 39 gols marcados nos 45 minutos finais e 14 gols sofridos.

Em 2012, Cuca utilizou 34 jogadores.

Em 2013, 27 jogadores já entraram em campo.

Em 2012, 11 jogadores chegaram para reforçar a equipe.

Em 2013, são 7 reforços em relação ao time de 2012.

Em 2013, com as 23 partidas que comandou a equipe, Cuca chegou à marca de 105 jogos no Atlético. Na lista de quem mais dirigiu o Galo, o treinador deixou para trás nomes recentes como Leão (92), Celso Roth (81), Luxemburgo (53), Dorival Júnior (52). Cuca terá muito caminho pela frente para alcançar Mussula (121), Jair Pereira (134), Ricardo Diez (171), Levir Culpi (175), Barbatana (227), Procópio (328) e Telê Santana (434).

Fael Lima

ABRAÇO NAÇÃO!

Twitter | Facebook

Youtube 1 | Youtube 2

Foto: Bruno Cantini

Foto: Bruno Cantini

20 golaços do Galo – parte 1

Parte 2

Parte 3

Guilherme — Cobreloa (Libertadores 2000)
André — Boca Juniors (Mercosul 2000)
Edmar — Náutico (Brasileiro 1992)
Éder — Araxá (Mineiro 1980)
Éder — Flamengo (Brasileiro 1981)
Éder — Fluminense (Brasileiro 1980)
Marques — Internacional (Copa do Brasil 2002)
Alessandro — Atlético PR (Brasileiro 2003)
Castillo — Flamengo (Brasileiro 2008)
Guilherme — Goiás (Brasileiro 2003)
Éverton — Treze (Brasileiro 1984)
Jô — Grêmio (Brasileiro 2012)
Marques — Vila Nova (Copa dos Campeões 1999)
Tchô — Paulista (Brasileiro 2006)
Marques — Brasiliense (Brasileiro 2005)
Reinaldo — Fast (Brasileiro 1977)
Dario — Cruzeiro (Mineiro 1972)
Guilherme — Corinthians (Brasileiro 1999)
Reinaldo — PSG (Torneio de Paris 1982)
Ronaldinho Gaúcho — Cruzeiro (Brasileiro 2012)